quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Melindrada.


Não censures meu jeito rude e bruto
De dizer o que penso tão somente
Iludir é o dom de quem lhe mente
De um modo sutil e tão arguto

Se pro modo servil nunca permuto
É porque aprendi sobrevivente
Neste mundo lupino e decadente
A moral já morreu sem deixar luto

Mas eu digo à luz de uma verdade
De olhar no olhar sinceridade
Expressar o que pede tal momento

Pois no fundo sincero muito gosto
E assim que diante a ti me posto
Ao abrir coração e sentimento

ALLAN SALES

Recife, 01 de fevereiro de 2013.

Nenhum comentário: