terça-feira, 27 de maio de 2008

O bom forró tem Lirismo Dipensa essa putaria



I
Concordo com meu amigo
Sobre as coisas do forró
Por isso dou no gogó
Ponho lixo no jazigo
Ouvir isso não consigo
Forró com pornografia
No bom gosto a sodomia
Em nome do modernismo
O bom forró tem lirismo
Dispensa essa putaria
II
Esse show da putanhagem
Exibindo letra torta
Onde a qualidade é morta
No reino da fuleiragem
Apelar pra sacanagem
De vulgar apologia
Onde pobre é melodia
Carece de romantismo
O bom forró tem lirismo
Dispensa essa putaria
III
Falar da raparigagem
Das brigas de cabaré
Depreciar a mulher
Na mídia só vassalagem
É tosca sua mensagem
Que toca de noite e dia
Dá até uma agonia
Quem apóia tem cinismo
O bom forró tem lirismo
Dispensa essa putaria
IV
Ouço o Trio Nordestino
Com Petrúcio e Maciel
Acioly o menestrel
Israel um paladino
Azulão forró tão fino
Arlindo na mesma via
Irah linda cotovia
À luz do regionalismo
O bom forró tem lirismo
Dispensa essa putaria

V
Xico Bizerra o poeta
Arlindo Moita um danado
Joquinha tão inspirado
Dominguinhos nessa meta
Camarão o grande esteta
Mas tal lixo contagia
Gonzaga reprovaria
Não é falso moralismo
O bom forró tem lirismo
Dispensa essa putaria
VI
Marcolino no passado
Outros vates no presente
O Jackson foi reluzente
E hoje um lixo safado
Anselmo foi exaltado
Detonou a vil orgia
Que invade a periferia
Parece mau caratismo
O bom forró tem lirismo
Dispensa essa putaria
VII
E tome avacalhação
Vulgaridades demais
Compositor incapaz
De fazer boa canção
Barrar essa invasão
Tosca radiofonia
Parece patifaria
Torto comercialismo
O bom forró tem lirismo
Dispensa essa putaria
VIII
Anselmo Alves na luta
Falou e teve coragem
Mau gosto que tem voragem
Empurram coisa fajuta
O bom forró que se escuta
Possui a boa energia
De Seu Luiz nobre cria
Com todo virtuosismo
O bom forró tem lirismo
Dispensa essa putaria
IX
Bom forró Gonzagueado
Tem valor é cultural
Mas forró comercial
Chamado de estilizado
Escroto e avacalhado
Distante da poesia
Parece ter serventia
De avacalha o erotismo
O bom forró tem lirismo
Dispensa essa putaria
X
A figura feminina
Ali é vulgarizada
Exibida e arreganhada
Numa forma bem suína
A cultura nordestina
Execra essa latumia
O bom forró tem magia
Não tem porco chauvinismo
O bom forró tem lirismo
Dispensa essa putaria
XI
Carmélia que foi rainha
E Seu Lua foi o rei
E até onde eu sei
Muitos seguem nesta linha
Cilene é uma danadinha
Com Santana nesta guia
Camarão com harmonia
Afirmando não sofismo
O bom forró tem lirismo
Dispensa essa putaria
XII
Seu juiz homem de bem
Um guardião da decência
Proteja essa adolescência
Só nossa lei os detém
Avacalhar não convém
Pra juventude uma fria
Pois o guri e a guria
Deseducam com machismo
O bom forró tem lirismo
Dispensa essa putaria
XIII
Quero forró verdadeiro
Aquele que tem sanfona
Não esse forró da zona
Tão ideal pro puteiro
Quero um forró bem brejeiro
Com sanfona e companhia
Com um verso de alforria
Esse é nosso idealismo
O bom forró tem lirismo
Dispensa essa putaria
XIV
Somente dando um despacho
Um ebó na encruzilhada
Faz sumir essa cambada
E todo esse esculacho
O que brota desse tacho
É mesmo anomalia
Muitos ouvem mas quem chia?
Será medo ou conformismo?
O bom forró tem lirismo
Dispensa essa putaria
XV
Forró moderno se fala
Repete no mesmo tema
Como é pobre de poema
Nosso bom senso abala
Consente aqui quem cala
Ante essa coisa sombria
Contratam com alegria
Pras farras do populismo
O bom forró tem lirismo
Dispensa essa putaria
XVI
Quero forró de raízes
Que se chama pé de serra
Que tem a cara da terra
Nos variados matizes
Sem desancar meretrizes
Sem descambar pra porfia
Com tal vulgar modismo
O bom forró tem lirismo
Dispensa essa putaria.

Um comentário:

Renúncia disse...

Muito certo, bonito e arretado!
Infelismente muita gente prefere a baixaria em vez de olhar a lua.